EVENTO ABERTO E GRATUITO

IX Colóquio Internacional de Filosofia e Educação

Filosofia e educação em errância: inventar escola, infâncias do pensar

01 a 05 de outubro de 2018

Universidade do Estado do Rio de Janeiro [UERJ]
Faculdade de Educação [EDU]
Programa de Pós-Graduação em Educação [ProPEd]
Núcleo de Estudos de Filosofias e Infâncias [NEFI]

Histórico

Nossos encontros já têm uma rica história: em junho de 2002, teve lugar na UERJ o I Colóquio Franco-Brasileiro de Filosofia da Educação "O valor do mestre - igualdade e alteridade na educação", com a presença, dentre outros convidados, de Jacques Rancière e o lançamento de seu livro O mestre ignorante. A segunda edição do colóquio, em novembro de 2004, foi organizada sob o tema "O devir-mestre: entre Deleuze e a Educação". A terceira edição do Colóquio fez homenagem ao filósofo francês Michel Foucault, nos 80 anos de seu nascimento em outubro de 2006. O IV Colóquio, em agosto de 2008, deixou de ter um filósofo como tema central e passou a ter uma temática. Nessa ocasião foi: "Filosofia, aprendizagem, experiência". O V Colóquio, em setembro de 2010, passou a ser Internacional e não apenas Franco-Brasileiro. A sua temática foi "Devir-criança da filosofia: infância da educação". O VI Colóquio, em agosto de 2012, teve como tema "Filosofar: aprender e ensinar". Em cada uma de suas edições, o colóquio reuniu em torno de quinhentos participantes. Em setembro de 2014, o VII Colóquio propôs o tema "O que pode a escola hoje em Nossa América?", para interrogar a potência da escola - como ambiente, como instituição, como forma, como espaço, como tempo, como mundo - no seu contexto de sentido, cultural e político. Em 2016, a VIII versão do Colóquio aconteceu de 4 a 7 de outubro sob o tema "Comunidades que se tecem entre nosotros: alinhavando diferença e o ato de educar em uma língua ainda por ser inscrita". O IX Colóquio será realizado de 1 a 5 de outubro de 2018.

Apresentação

Em sua nona edição, o Colóquio Internacional de Filosofia e Educação, organizado pelo Núcleo de Estudos de Filosofias da Infâncias (NEFI - UERJ); propõe discutir a temática "Filosofia e educação em errância: inventar escola, infâncias do pensar".

Vivemos tempos difíceis no Brasil e, em particular, no Estado do Rio de Janeiro. Configurado e legitimado o cínico Golpe de Estado na República pelas instituições corruptas dos três poderes, com o alicerce das grandes corporações midiáticas, nos últimos tempos o Governo do Estado do Rio de Janeiro explicitou, sem qualquer signo de vergonha, mas com um cinismo que se assemelha ao do Governo Federal, a sua mais absoluta falta de sentido público e político em relação à educação em geral e à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em particular, a principal instituição de ensino superior do Estado e uma das principais do país. A UERJ deixou de receber os repasses mínimos para seu funcionamento básico, os funcionários passaram a receber com muito atraso e em parcelas seus salários, os alunos mais necessitados pararam de receber suas bolsas e, por conseguinte, ela passou a trabalhar em condições extremamente precárias. No vizinho munícipio de Duque de Caxias, na chamada Baixada Fluminense, a situação é semelhante, com uma paralela mostra de desprezo do poder público pela educação pública. Em suma, vivemos uma situação vergonhosa e indigna, inadmissível para qualquer sociedade dita democrática e inaceitável para qualquer aspirante sério à política. Vale perceber que a crise política não é exclusividade do Brasil mas se estende pela América Latina com força crescente.

Nesse contexto, o Núcleo de Estudos de Filosofias e Infâncias afirma, com a organização do IX Colóquio Internacional de Filosofia e Educação, o compromisso da Universidade Pública com a promoção de espaços abertos de pensamento que permitam uma vida mais reflexiva e coloquem coletivamente em questão os problemas de nosso tempo. Busca assim engendrar um encontro coletivo de enunciação, em meio às crises e sob os efeitos perversos dos modos de exercer os poderes em nosso tempo, a partir dos afetos experimentados no enlace do corpo com as seguintes questões: Como temos problematizado, no contexto político que é o nosso, o sentido da educação e, consequentemente, o sentido da própria atividade docente? Como tem sido possível resistir aos ataques à educação pública delineando relações mais alegres e potentes entre nós e os outros nos acontecimentos de aprender e de ensinar? Por quais descaminhos novas estéticas ensinantes e aprendentes têm conseguido se esboçar firmando outras potências da vida? Que contrapontos temos traçado entre nossas errâncias educativas e o eterno retorno da força do que difere?

Enfim, trata-se de um convite para costurar juntos e estender, no espaço do pensamento e da vida e em meio aos sufocos que enfrentamos no presente, linhas e fluxos que afirmem outra política, outro pensamento, outra vida.

Subtemas

POLÍTICA, RESISTÊNCIA, MEMÓRIA

OCUPAÇÕES, ESPAÇOS PÚBLICOS, COMUNIDADES

TEMPOS, DESIDADES, PORVIRES

ESTÉTICAS, POÉTICAS, LINGUAGENS

AFRO, INDÍGENA, GÊNERO

CORPOS, SUJEITOS, IDENTIDADES

CURRÍCULOS, COTIDIANOS, PROVOCAÇÕES

DESLOCAMENTOS, VIAGENS, DEVIRES

ESCRITAS, LEITURAS, ATENÇÃO

IGUALDADE, DIFERENÇA, EMANCIPAÇÃO

Alessandra Lopes

Alice Pessanha

Allan Rodrigues

Ana Paula Saraiva Morais

Anadelhi Figueiredo Santos

Beatriz Fabiana Olarieta

Camila Regina da Silva Pinheiro

Carla Silva

Carolina Fonseca

Daniel Gaivota

Edna Olimpia da Cunha

Esther de Queiroz Marques

Fabiana Fernandes Ribeiro Martins

Jair Miranda de Paiva

José Ricardo Santiago

Lara Sayão

Luiz Fernando Reis

Maximiliano Lionel Durán

Neila Ruiz Alfonzo

Osvaldo Silva

Pablo de Vargas Guimarães

Priscila Liz Belmont

Robson Lins

Sammy Lopes

Simone Berle

Vanise Dutra

Walter Omar Kohan

Adriana Arpini [UNIVERSIDADE NACIONAL DE CUYO]

Adriana Tavares Carrijo [UERJ]

Aimberê Quintiliano [UFJF]

Alejandro Ariel Cerletti [UNIVERSIDAD DE BUENOS AIRES]

Alessandro Pimenta [UFT]

Alexandra Garcia [UERJ]

Alexandre Filordi de Carvalho [UNIFESP]

Alexandre Jordão [UFMA]

Alexandre Simão de Freitas [UFPE]

Anelice Astrid Ribetto [FFP/UERJ]

Carlos Skliar [FACULTAD LATINOAMERICANA DE CIENCIAS SOCIALES]

Carmen Sanches [UNIRIO]

César Donizetti Pereira Leite [UNESP]

Cláudio Dalbosco [UPF]

Conceição Gislane Nóbrega Lima de Salles [UFPE]

Conceição Seixas [UERJ]

Dagmar Mello e Silva [UFF]

Danilo Augusto Santos Melo [UFF]

Dante Galeffi [UFBA]

Dirce Eleonora Solis [UERJ]

Dulcimarta Lemos Lino [UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL]

Elisete Tomazetti [UFSM]

Filipe Ceppas [UFRJ]

Gaston Beraldi [UNIVERSIDAD DE BUENOS AIRES]

Geraldo Balduino Horn [UFPR]

Giuseppe Ferraro [UNIVERSITÀ FEDERICO II DI NAPOLI]

Gregorio Valera-Villegas [UNIVERSIDAD SIMÓN RODRÍGUEZ, CARACAS]

Helenice Mirabelli Cassino Ferreira [UERJ]

Heliana Conde [UERJ]

Jaime Vieyra [UNIVERSIDAD MICHOACANA, MÉXICO]

Jair Miranda de Paiva [UFES]

Jan Masschelein [KATHOLIC UNIVERSITY LEUVEN]

Jason Wozniak [SAN JOSE STATE UNIVERSITY]

José Gonçalves Gondra [UERJ]

Juliana Merçon [UNIVERSIDAD VERACRUZANA]

Juliele Sievers [UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS]

Junot Cornélio Matos [UFPE]

Karyne Dias Coutinho [UFRN]

Leoni Maria Padilha Henning [UEL]

Lígia Leão de Aquino [UERJ]

Lisandra Ogg Gomes [UERJ]

Lucrécio Sá [UFRN]

Marcelo Senna Guimarães [UNIRIO]

Márcio Silveira Lemgruber [UNESA]

Marcos de Camargo Von Zuben [UERN]

Marcos Lorieri [UNINOVE]

Maria Luisa Magalhães Bastos Oswald [UERJ]

Maria Regina Maciel [UERJ]

Maria Reilta Dantas Cirino [UERJ]

Marilia Mello Pisani [UFABC]

Maximiliano Lionel Durán [UBA]

Maximiliano Valério López [UFJF]

Miguel Angel de Barrenechea [UNIRIO]

Olga Grau [UNIVERSIDAD DE CHILE]

Pablo de Vargas Guimarães [UFF]

Pablo Severiano Benevides [UFC]

Patrícia del Nero Velasco [UFABC]

Paula Ramos de Oliveira [UNESP]

Pedro Ergnaldo Gontijo [UNB]

Pedro Pagni [UNESP]

Rafael Mello Barbosa [CEFET-RJ]

Rita Ribes [UERJ]

Roberto Rondon [UFPB]

Rosana Aparecida Fernandes [UFRGS]

Rosimeri de Oliveira Dias [UERJ]

Sammy Lopes [UERJ]

Samuel Mendonça [PUC-CAMPINAS]

Sandra Regina Simonis Richter [UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL]

Síllvio Donizetti de Oliveira Gallo [UNICAMP]

Silmara Marton [UFF]

Silvio Ricardo Gomes Carneiro [UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO]

Simone Berle [UERJ]

Siomara Borba Leite [UERJ]

Sylvio Gadelha Costa [UFC]

Tarcísio Jorge Santos Pinto [UFJF]

Vanise Dutra [UERJ]

Waldênia Leão [UPE]

Walter Omar Kohan [UERJ]

Wanderson Flor do Nascimento [UNB]

Apresentação dos trabalhos

Por gentileza, pense bem antes de enviar uma proposta e só a envie se desejar participar intensamente do evento.

Queremos participantes mais preocupados em ouvir outras vozes que em acrescentar uma linha no seu Currículo Lattes. Esperamos contar com pessoas dispostas a participar de um espaço de conversa e troca de ideias.

As propostas para apresentação de trabalhos podem ser de dois tipos:

Ateliê

Tem como finalidade oferecer possibilidades de um maior aprofundamento em questões entre Filosofia e Educação a partir de EXPERIÊNCIAS PRÁTICAS de pensamento com os participantes. Terão duração de noventa minutos. Não serão aceitas comunicações teóricas ou relatos de experiência como ateliê

Comunicação

Tem como finalidade apresentar um trabalho de pensamento nas interfaces entre filosofia e educação. Apenas serão aceitas comunicações que possuam uma relação explícita com um dos dez eixos-temáticos do Colóquio. Para a realização das sessões cada expositor terá 10 (dez) minutos de apresentação mais 20 (vinte) para dialogar com os presentes.

Além de ateliês e comunicações, o Colóquio oferecerá mini-cursos de dois dias com 180 minutos de duração, sessões especiais de 90 minutos de duração, eventos culturais, uma caminhada ao Morro da Urca e mesas redondas.